FRED DRYER
Tiro Certo


 
 
Criada por Frank Lupo e produzida por Stephen J. Cannell, a série Tiro Certo (Hunter) é uma versão para a televisão dos filmes Dirty Harry de Clint Eastwood. Fred Dryer faz o Sargento Rick Hunter, detetive da Homicídios da polícia de Los Angeles. A parceira de Hunter é a Sargento Dee Dee McCall, interpretada pela atriz Stepfanie Kramer.

Tiro Certo estreou nos Estados Unidos no dia 18 de setembro de 1984, na rede NBC, e foi produzida até 1991; o último episódio foi ao ar em 26 de abril (as reprises continuam até hoje, em canais a cabo). Em 2003, Tiro Certo voltou com 5 novos episódios; infelizmente, a série foi cancelada novamente — dois dos episódios produzidos nem foram para o ar.

A partir de 2005, a série começou a sair (nos EUA) em [DVD]

TIRO CERTO DE VOLTA À TV BRASILEIRA

Dias 23 de janeiro de 2004 estreou no canal por assinatura Telecine Premium (NET/Sky) o filme Tiro Certo: Em Busca de Justiça (Hunter: Return to Justice). Produzido em 2002, o filme reune Rick Hunter (Fred Dryer) com sua parceira Dee Dee McCall (Stepfanie Kramer), após 12 anos de separação.

Em setembro, foi a vez da estréia de Tiro Certo: De Volta à Ativa (Hunter: Back in Force), no mesmo canal; Hunter e McCall agora trabalham na polícia de San Francisco.

[Lista de Episódios]


Hunter (Fred Dryer) e
Dee Dee McCall (Stepfanie Kramer)Em sua primeira temporada (tendo Dallas como concorrente), não obteve muito sucesso e quase foi cancelada. Porém, não demorou muito para que os telespectadores "decobrissem" a série, tornando-a bastante popular. Foram então produzidos 115 episódios de 1 hora, 9 episódios de 2 partes e 2 episódios de 3 partes. Sobre o porquê desta popularidade, Fred disse na época:

    — A série aborda um tema que parece ser entendido por todos. Os personagens Hunter e McCall têm valores antigos: honestidade, integridade. Eles estão atrás da resposta certa para os problemas e a maneira como encaram seu trabalho é admirável. Eles são seres humanos, não robôs. Ou talvez seja porque as pessoas achem que eu sou bonito... Talvez elas achem que Stepfanie é linda. É difícil apontar exatamente a razão do seriado ser tão forte."  (LA Times - 15/03/1990.)

    Um outro motivo para explicar a popularidade que Tiro Certo tem até hoje (além do fato de ser uma boa série policial) é o interesse das pessoas no relacionamento entre Hunter e McCall, a "química" entre os personagens (e os atores). Profisionais, amigos, homem e mulher, Rick e Dee Dee tornaram-se o centro das atenções do público, que na sua maioria sempre torceu para que os dois acabassem romanticamente envolvidos — o que não aconteceu, apesar de existir uma certa tensão sexual entre eles. Tanto isso é verdade, que após a saída de McCall de Tiro Certo, muitas pessoas simplesmente deixaram de ver a série e, mesmo agora passados tantos anos, continuam se recusando a ver os episódios sem Dee Dee.

     Além de ser veiculada nos Estados Unidos, Tiro Certo foi vendida para muitos países: Brasil (Rede Globo), Japão, Canadá, Inglaterra, França, Indonésia, Austrália, China, Itália, Alemanha, Espanha, Filipinas, Coréia, Tailândia, Dubai, Brunei, Islândia, Bangladesh, Kuwait, Paraguai, Israel, num total de 88. A série é ainda vista por mais de 500 milhões de pessoas em todo o mundo. Fred Dryer é o ator americano mais conhecido na China — milhões de chineses assistem Tiro Certo semanalmente.

    — Isso faz com que você se sinta bem, ser amado por um povo inteiro. Faz com que você se sinta gratificado.

     Na época em que fazia Tiro Certo, Fred disse:

    — Eu estive na França, no Canadá, na Itália, em Israel, na América do Sul. A série é realmente um fenômeno. Eu sei que as pessoas nos Estados Unidos e no resto do mundo gostam de boas séries de ação.  (Hollywood Reporter)

    Mas apesar de ter alcançado o sucesso no mundo todo,Tiro Certo não obteve muito reconhecimento por parte da indústria hollywoodiana e dos críticos:

    — É provavelmente o sucesso mais silencioso desta cidade. Nós não recebemos aclamação da crítica, nós não somos indicados para o prêmio Emmy. As pessoas desta cidade não escrevem sobre a série. Talvez seja porque a empresa de Stephen J. Cannell não tem o costume de lançar aqueles tipos de programa que agradam aos críticos. Ele cria seriados para entretenimento, que ficam no ar por bastante tempo, mas que não são aclamados pela crítica. (Hollywood Reporter - 03/02/1989)

    — Nós não somos indicados para o prêmio Emmy. Eles nem ao menos chamam Stepfanie ou a mim para sermos apresentadores. Eu começei a levar isso para o lado pessoal depois de um certo tempo. Eu acho que é porque nós fazemos parte da empresa de Stephen J. Cannell, então pensam que Tiro Certo é uma série como Esquadrão Classe A (A-Team), feita para garotos adolescentes, mas nosso público é composto de adultos, 35 anos ou mais. O sucesso no exterior me deixa satisfeito porque nos mostra que somos apreciados pelas pessoas lá fora, mesmo que não o sejamos pela nossa própria indústria. (LA Times - 15/03/1990)

     Fred dirigiu alguns episódios: O Nascimento (A Child is Born), A Noiva de Jade (Jade Woman), A Garota da Praia (The Girl on the Beach), Ring of Honor e The Incident. No início da série ele ganhava 21.135 dólares por semana. Um pouco antes da 3ª temporada começar, Fred recusou-se a voltar ao trabalho, a menos que seu salário subisse para 50 mil dólares por episódio. Cannell quis então substituí-lo, além de ameaçá-lo com um processo de 20 milhões de dólares por quebra de contrato. Contudo, a NBC fez chegar ao produtor a informação de que a série seria inviável sem a sua estrela principal. Assim, Dryer acabou conseguindo o aumento desejado.

    A partir do 6°ano, Fred passou a ser também produtor executivo de Tiro Certo. Tendo sob sua responsabilidade 60 milhões de dólares, produziu os 44 últimos episódios. A série era filmada em Los Angeles durante 8 meses por ano (julho a março), 12 a 18 horas por dia, 5 dias por semana. Nas duas últimas temporadas, Fred ganhava bem mais do que 50 mil dólares por episódio. Em 1991, quando da negociação da que seria a 8a temporada, ele queria receber não menos do que 7,7 milhões de dólares para fazer mais um ano da série. Como Cannell só chegou aos 5,6 milhões, Tiro Certo foi cancelada. Fred disse que não foi apenas uma questão de dinheiro — ele havia criado Rick Hunter, lutou para que o personagem sobrevivesse, trabalhava de 12 a 18 horas por dia, sacrificando muitas coisas. Assim, quando recusaram a quantia que ele pedia, preferiu parar com tudo.

    Stepfanie Kramer deixou a série em 1990; McCall sai da polícia, casa-se com um antigo namorado e muda-se para a Inglaterra. Rumores na imprensa diziam que Stepfanie e Fred não estariam se dando bem, boato que sempre foi desmentido pelos atores. Fred disse em uma recente entrevista que os dois se tornaram "irmão e irm㠗 se não fosse assim, Stepfanie não teria me convidado para seu casamento (em 1992)". A propósito, este sentimento de fraternidade tornou a cena do beijo entre Hunter e McCall (no episódio Unfinished Business) muito difícil de ser feita. Além disso, Stepfanie estaria mais interessada em se dedicar à sua carreira musical. Inclusive, durante a duração da série nos EUA, foram produzidos diversos bloopers (programas com os erros dos atores durante as gravações e pegadinhas ao estilo “câmera escondida”), onde Fred e Stepfanie mostram ser bons amigos. Uma das pegadinhas mais engraçadas aconteceu quando Fred e equipe estacionaram um gigantesco guindaste em frente à nova casa de Stepfanie e fingiram que a prefeitura tinha ordenado deslocar o imóvel alguns metros. Stepfanie caiu direitinho, quase morreu de susto!

    De Tiro Certo, Kramer dirigiu os episódios Perseguição Implacável - parte 2 e The Return of White Cloud e são suas as canções do episódio The Cradle Will Rock. Na última temporada (90-91), duas atrizes substituem Stepfanie Kramer: Darlanne Fluegel, interpretando a Oficial Joanne Molenski (que é morta na metade da temporada) e Lauren Lane, fazendo a Sargento Chris Novak até o final da série.

    Em 1995, Fred volta a interpretar o policial de Los Angeles no telefilme The Return of Hunter: Everyone Walks in LA., quando Hunter, promovido a tenente, se vê as voltas com o assassinato de sua namorada. Charles Hallahan (Capitão Charles Devane) participa do filme, que, no entanto, não conta com Stepfanie Kramer.

    Em 1998, Fred esteve na China e fechou um acordo para produzir junto com os chineses o filme Hunter in China, que provavelmente começará a ser filmado em 2000. Está quase certa a participação de Stepfanie Kramer como Dee Dee McCall; contudo, a parceira de Hunter será interpretada por uma atriz chinesa.*

*Este filme acabou não sendo produzido

    No finalzinho dos anos 90, surgiram na Internet vários sites (em inglês) sobre Tiro Certo. Quase ao mesmo tempo, Fred Dryer e Stepfanie Kramer lançaram seus sites oficiais.

Em 2002, estreou nos Estados Unidos (NBC) o filme reunion Hunter: Return to Justice, com Fred Dryer e Stepfanie Kramer de volta aos papéis de Rick Hunter e Dee Dee McCall; este filme estreou no Brasil (NET/Sky) em janeiro de 2004, com o nome de Tiro Certo: Em Busca de Justiça.

Em 2003, mais um filme foi produzido: Tiro Certo: De Volta à Ativa (Hunter: Back in Force) e houve a tentativa de fazer com que a série voltasse ao ar, mas que só durou 5 episódios. O filme chegou ao Brasil (NET/Sky), mas os novos episódios continuam inéditos por aqui.

É uma pena que, apesar de serem tantos os canais por assinatura no Brasil, nenhum deles tenha em sua programação Tiro Certo. E a Globo, que possui algumas temporadas da série, infelizmente não as tira de seu arquivo desde janeiro de 1996.


CURIOSIDADES

*Em 1991, Stephen J. Cannell produziu uma espécie de remake de Tiro Certo, Silk Stalkings (batizada no Brasil de Paixões Perigosas e exibida na Record e nos canais a cabo Multishow e Sony). Esta série nunca foi assumida como sendo um novo Tiro Certo, mas as semelhanças são inegáveis: dois policiais, homem e mulher, como parceiros (Christopher Lorenzo e Rita Lee Lance); Lorenzo passa a série inteira lutando contra carros que são verdadeiras sucatas ambulantes, tal qual Hunter no começo da série; a amizade incondicional entre Lance e Lorenzo; Rita, como Dee Dee, tem um aquário em casa; as duas duplas tem realacionamentos parecidos com seus respectivos chefes; e até mesmo um detetive particular, Marty Greenwald (interpretado por atores diferentes), aparece em episódios das duas séries. Mais uma coincidência: o episódio piloto de Paixões foi co-produzido por Jefferson Kibbee, diretor de vários episódios de Tiro Certo. As diferenças ficam por conta da biografia dos personagens, que são bastante diferentes; pelo fato de Chris e Rita trabalharem na Flórida e, principalmente, pelo fato de que em em Paixões Perigosas, os dois parceiros se apaixonam, casam e Rita fica grávida de Chris — e o final é trágico, pois antes do bebê nascer, ele é assassinado a mando de um traficante de drogas. Depois da saída de Chris (Rob Estes) e Rita (Mitzi Kapture), a série continuou com outros atores.

*Nos cinco primeiros anos da série nunca houve sequer uma alusão de que Hunter e McCall tivessem dormido juntos. Porém, na sexta temporada (a última de McCall), há um episódio (Unfinished Business) em que a dupla procura terapia para resolver uma certa tensão surgida entre os dois; a origem: três anos antes, eles dormiram juntos uma única vez e desde então nunca tocaram no assunto — e depois desta história, nunca mais tocariam. Fãs tendem a não levar em consideração o episódio, já que ele não se encaixa com os outros.

*Na segunda temporada (1985/1986), houve um episódio ("Rape and Revenge", que passou no Brasil) onde Dee Dee McCall foi estuprada. Um excelente e emocional episódio (como tinha que ser, em se tratando deste assunto). Em 1987, foi produzido um episódio chamado City of Passion, baseado em um livro escrito por Dallas Barnes. Como no livro a personagem principal era violentada, isto significaria que Dee Dee McCall teria que ser estuprada novamente. Stepfanie Kramer não concordou, achando que era demais uma mulher que estrela uma série ser estuprada duas vezes, e ameaçou deixar Tiro Certo se o roteiro não fosse mudado. Na opinião de Fred, a história ficaria melhor, mais dramática, se o estupro ocorrese e ele disse isso a ela. Mas no final, Stepfanie venceu; McCall sofre apenas uma tentativa de estupro.

*O episódio número 100 foi City Under Siege, com 3 partes que foram para o ar nos dias 4, 11 e 18 de fevereiro de 1989. Como acontece com toda a série que alcança seu centésimo episódio, houve diversas comemorações, incluindo festa com a presença do então prefeito de Los Angeles, Tom Bradley.

*O episódio Assassinato Por Escrito (Murder: He Wrote) é uma homenagem à série Assassinato Por Escrito (Murder: She Wrote), com Angela Lansbury. Durante a investigação de um de seus casos, Hunter e McCall encontram uma senhora (Jennifer Brasher) que os faz lembrar de alguém que conhecem, mas não conseguem se lembrar quem. Tal qual a Jessica Fletcher da série de Lansbury, Jennifer é escritora e faz questão de ajudar Hunter e McCall a desvendar o crime. Effrem Zimbalist Jr., que protagonizou as séries FBI e 77 Sunset Strip, trabalha neste episódio.

*O episódio A Dália Negra (The Black Dahlia) é baseado num famoso crime ocorrido em Los Angeles (o assassinato da atriz Elizabeth Short) e que até hoje não solucionado. Existem diversos sites sobre o caso na Internet, além do filme produzido em 2006.

*A série Seinfeld fez em um de seus episódios uma sátira a um episódio de Tiro Certo (Justiça Nua), incluindo algumas cenas com um policial que tinha as características de Hunter.

*George Clooney, de Plantão Médico, trabalhou no episódio Exposição Perigosa (Double Exposure), em 1987.

*John Matuszak, ex-rival de Fred no futebol americano (jogava no Oakland Raiders), trabalhou no episódio Death Machine.

*Nina Foch, com quem Fred estudou atuação, trabalhou no episódio Acapulco Holiday.

*Tracy Vaccaro, ex-mulher de Fred, trabalhou em alguns episódios da série quando eles ainda eram casados e também depois do divórcio.

*Erik Estrada, de CHIPs, trabalhou no episódio City of Passion (1987).

*Dennis Franz, de Nova Iorque Contra o Crime, trabalhou no episódio The Snow Queen (1985).


BIOGRAFIAS DOS PERSONAGENS
 


 
RICHARD HUNTER (Fred Dryer), Detetive da Divisão de Homicídios da Polícia de Los Angeles (LAPD) e Detetive da Divisão Metropolitana (Metro) da Polícia de Los Angeles (última temporada)

*A família de Hunter (de origem italiana) fazia parte do crime organizado de Los Angeles e nos anos 50 “dirigiu” a cidade. O pai de Hunter foi assassinado em 1971 por um matador de aluguel contratado por Marco Brokow, filho de seu próprio sócio (Vinnie), na empresa H&B Scrap Metal; Hunter só ficou sabendo disto anos depois, quando o assassino contratado resolveu fazer uma confissão em seu leito de morte. No começo da série, Hunter costumava ter contato com seus tios e primos mafiosos; no entanto, mais tarde este lado da vida de Rick foi deixado de lado, por decisão de um dos produtores executivos (Roy Huggins).

*No início, Rick era chamado de The Head Hunter e sua frase preferida era works for me — duas caracterísicas que também foram deixadas de lado. A segunda pelo próprio Fred, que se recusou a continuar falando a frase porque nem tudo — ou nada — funcionava para Hunter: seu carro praticamente se desmanchava nas suas mãos, os chefes não gostavam dele...

*Hunter era veterano da Guerra do Vietn㠗 esteve no Laos e no Camboja como fuzileiro naval. Sempre se referia ao Vietnã como "a guerra".

*Em 1989 (episódio Yesterday's Child ) Hunter descobriu que tinha um filho, Ben (Joon B. Kim), nascido de uma relação com uma garota asiática. Ben, que foi criado por outro homem, a princípio não aceitou Hunter, mas este insistiu que gostaria de fazer parte da vida do filho e o rapaz acabou concordando. No entanto, Ben nunca mais foi citado na série. Falas do episódio:

— Por todos estes anos eu me perguntei quem você era, como você era, me perguntava se eu tinha alguma coise de você. Eu apenas queria saber quem era meu pai.

— Bem, agora você sabe. Mas você deve saber também que teve um pai nos últimos 17 anos. Um bom homem. Um homem que te amou, te criou, deu a você um bom lar, se preocupou com você. Eu acho que esta é uma boa definição de paternidade.

*Durante as 7 temporadas, Hunter morou em 4 casas diferentes.

*Após sofrer as primeiras temporadas dirigindo verdadeiras sucatas, a partir da quarta temporada Hunter passou a ter um carro um pouco melhor: um Dodge Mônaco verde ano 1976 (The Huntermobile). No episódio Perseguição Implacável o veículo acabou explodindo (após uma perseguição) e foi substituído por outro idêntico. As placas de todos os carros eram a mesma, 1ADT849, e o código do rádio L-56 (Lincoln 56). Na última temporada ele ganha um carro novo, um Ford Crown Victoria LTD 1990 azul céu, que tem um outro código de rádio: W-56 (William 56).

*O número do distintivo de Hunter era 89 (número de Fred no Rams).

*Sempre que trabalhava disfarçado, Hunter usava o nome McPherson; e com um ar totalmente inocente, inventava as mais variadas profissões: vendedor, construtor, designer, professor de botânica etc.

*Um de seus parceiros, antes de Dee Dee McCall, foi Frank Garriman (James McEachin), que se aposentou. No episódio Renegado (Renegade), o filho de Frank, Bobby, é assassinado porque roubou uma mala cheia de droga de traficantes. Hunter ajuda o ex-parceiro a solucionar o crime.

*Quanto à parceria com Dee Dee McCall, o próprio Hunter a escolheu (na ocasião ela estava trabalhando disfarçada de prostituta e ele a abordou na rua...), pois não estava satisfeito com seu parceiro, o chatíssimo Sargento Bernie Terwilliger (James Withmore Jr.). Inicialmente, os dois não se deram bem; mas gradualmente a amizade entre eles cresceu e se tornou bastante forte.

*Depois que McCall deixou a polícia, as parceiras de Hunter foram a Oficial Joanne Molenski (Darlanne Fluegel) — que acaba morrendo em serviço — e a Sargento Chris Novak (Lauren Lane, da série The Nanny).

*Policial justo, Hunter não era um seguidor de regras, principalmente quando estas favoreciam os bandidos, comportamento que às vezes (ou quase sempre) lhe causava problemas junto aos seus superiores.

*Hunter gostava de futebol americano, dos Três Patetas e de pescar.

*Hunter se preocupava muito com a qualidade de sua alimentação (tal qual Fred Dryer). Volta e meia acusava McCall de estar comendo "calorias demais". Mas às vezes não dispensava uma boa pizza...

*Quando Hunter e McCall estavam num restaurante, ele sempre deixava a conta para ela pagar. McCall sempre insinuava que ele era pão-duro, principalmente nas apostas que os dois costumavam fazer — sobre futebol, resultado de um julgamento etc.

*Qualquer disputa entre Hunter e McCall era resolvida no cara ou coroa — quem vai preencher os relatórios, quem vai fazer isso ou aquilo; Rick comparecia com a moedinha — e sempre ganhava...

*Duas "manias" de Hunter: mascar chiclete e consultar as horas no seu relógio de pulso.

*No começo da série, Hunter se vestia mais à vontade para trabalhar — em muitos episódios ele estava com camisas que para nós, brasileiros, são típicas de "turista americano em férias no Rio". Só a partir da segunda temporada em diante ele passou a usar paletó e gravata (por exigência de seus superiores). Um detalhe MUITO importante, porém: sua calça jeans — era tão apertada, que, segundo Fred, as fãs da série chegaram a "acusá-lo" de não usar cueca, pois não se notava nenhum sinal da peça...

*No decorrer da série, Hunter se envolveu com muitas mulheres (Allegra, Nicky, Valerie, Angie, Stella, Kate etc). Mas os relacionamentos nunca duraram mais que um episódio, até porque elas geralmente acabavam ou presas ou mortas... Rick foi noivo uma vez (antes do começo da série); sua garota, Zena Curtis, morreu.

*No filme The Return of Hunter-Everyone Walks in LA, de 1995, Rick foi promovido a Tenente. No filme Tiro Certo: Em Busca de Justiça (Hunter: Return to Justice), Hunter e McCall se encontraram novamente, em San Diego (Califórnia); ele ainda era policial e ela não. Porém, a partir do filme Tiro Certo: De Volta à Ativa (Hunter: Back in Force), Rick e Dee Dee passaram a trabalhar para a polícia de San Diego.

*Fred Dryer foi dublado por Lauro Fabiano (Herbert Richers)
 

Dee Dee MCCALL (Stepfanie Kramer), detetive da Divisão de Homicídios da polícia metropolitana de Los Angeles (LAPD)

*Dee Dee era viúva. Seu marido, Steven McCall (Frank Luz), era policial e morreu em serviço em 1979, aos 35 anos. Existiram pelo menos duas versões para sua morte: a primeira contava que Steven foi morto por adolescentes durante uma batida rotineira contra drogas. A segunda versão dizia que ele tinha sido morto por um suspeito durante uma investigação de assassinato. Ainda, na primeira versão, Steven ea um policial de moto que nunca havia cruzado caminhos com Hunter e na segunda, um detetive que com certeza conheceu Rick.

*Seus carros: Dodge Daytona 1984 castanho, Dodge Daytona Shelby Z 1987 vermelho, Dodge Dinasty 1990 champagne e Ford Mustang amarelo, em temporadas diferentes. O código do rádio era L-57.

*McCall era chamada pelos colegas de The Brass Cupcake, porque, apesar da sua aparência frágil, era uma mulher forte e corajosa.

* O número de seu distintivo era 358.

*Dee Dee gostava de Tom Jones, futebol americano, bastante mostarda em seu prato de chowder (sopa de mariscos muito popular entre os americanos), era especialista em “abrir” fechaduras e achava que os principais grupos alimentícios eram: comida entregue em casa, congelados e enlatados.

*Dee Dee adorava brincos; quanto maior, melhor.

*Dee Dee tinha um jacaré de pelúcia de estimação chamado Mr. Mouse. O bicho foi destruído quando sua casa foi metralhada durante a investigação de um crime, mas Hunter providenciou um novo para ela.

*No episódio Rape and Revenge, Dee Dee foi estuprada pelo adido cultural do Curaguay, Raul Mariano (Richard Yniguez). Alegando imunidade diplomática, ele voltou para seu país livre de qualquer acusação. Posteriormente, Hunter foi atrás dele (não oficialmente e sem o conhecimento de McCall, que pensou estar ele pescando) e num confronto com Mariano acaba matando-o em legítima defesa.

*Como Hunter, Dee Dee morou em várias casas durante a série; a casa em que foi violentada ficava na Avenida Brick 154; depois, ela passou a morar na Rua Hazeltine 315, em Studio City (na região metropolitana de Los Angeles). Em sua última moradia, Dee Dee tinha um aquário.

*McCall e Steve não tiveram filhos. No episódio O Nascimento (A Child is Born) Dee Dee pensou em adotar a menininha cuja vida ela própria salvou, não deixando que desligassem os aparelhos que sustentavam a vida mãe em coma. Porém, os avós do bebê acabaram aparecendo e ficaram com ele, deixando Dee Dee bastante frustrada.

*No penúltimo ano da série, um antigo namorado de McCall, Dr. Alex Turnan (Robert Connor Newman), reapareceu e ela decidiu deixar a polícia para tentar uma vida familiar e filhos (episódio Street Wise). Eles se casaram e foram para a Inglaterra, onde ele iria lecionar. Na despedida, Hunter, apesar de estar triste, disse para ela:

— Me faz bem saber que você encontrou alguém com quem dividir a vida.

*Em 2002, McCall reencontrou Hunter (no filme Tiro Certo: Em Busca de Justiça) no dia de seu casamento com o político Roger Prescott (nada foi explicado sobre Alex). Prescott acabou morrendo no final, deixando Dee Dee viúva mais uma vez. Em 2003 (a partir do filme Tiro Certo: De Volta à Ativa), Dee Dee retornou à Polícia, desta vez em San Diego.

JOANNE MOLENSKI (Darlanne Fluegel) - Substitui McCall como parceira de Hunter. Foi assassinada no meio da temporada (episódio Fatal Obsession), por um matador de tiras.

Na realidade, Fred ficou envolvido por Darlanne e as coisas não correram muito bem...  Mais tarde ele próprio disse que não se deve misturar trabalho com sentimentos.

SARGENTO CHRIS NOVAK (Lauren Lane) - Ex-namorada de Hunter, Novak era divorciada e tinha uma filha pequena, Allison (Cortney Barilla) e um ex-marido bastante ciumento. Ela e Hunter acabaram se envolvendo novamente.

Lane posteriormente faria a C.C. Babcock na série The Nanny.

CAPITÃO DOLAN (John Amos) - Chefe de Hunter e McCall na 1a temporada.

CAPITÃO WYLER (Bruce Davison) - Chefe de Hunter e McCall na 2a temporada.

CAPITÃO CHARLES DEVANE (Charles Hallahan) - Chefe de Hunter e McCall a partir da 3a temporada, Devane era um grande amigo dos dois e confiava totalmente no trabalho da dupla — a única coisa que ele desaprovava era o costume de McCall (incentivada por Hunter) de "abrir" fechaduras e realizar buscas sem mandado (sempre por um bom motivo, é claro). Divorciado de Sara (Frances Lee McCain), Charlie morava com seu gato Harry. No episódio A Garota da Praia (The Girl on the Beach), Sara foi assassinada, para desgosto do ex-marido, pois ambos continuaram a ser bons amigos após o divórcio.

Hallahan nasceu na Filadélfia, Pennsylvania, no dia 29 de julho de 1943. Ele morreu em 25 de novembro de 1997, após sofrer um ataque cardíaco enquanto dirigia. Era casado com Barbara Gryboski e tinha 2 filhos.

TENENTE AMBROSE PATRICK FINN (John Shearin) - Temporadas 2, 3 e 4. Finn nasceu no dia 2 de maio de 1947. Na 4a temporada (episódio Bala de Prata), desesperado com a doença terminal da mulher (Sheila O'Connor Finn, nascida em 15 de setembro de 1948), começou a fazer justiça com as próprias mãos, eliminando criminosos que, com a ajuda de muito dinheiro e bons advogados, conseguiam escapar da prisão; morreu no final. Nas lápides de Finn e Sheila está escrito que ela morreu no dia 20 e ele no dia 21 de abril de 1988.

ARNOLD "SPORTY" JAMES/Roland J. Carlyle (Garret Morris) - Informante preferido de Hunter e McCall (temporadas 3 a 6). Sempre bem vestido e com um carro legal, Sporty sabia de tudo o que acontecia nas ruas. Era um homem fino, que não gostava de violência.

SARGENTO BERNARD TERWILLIGER (James Whitmore Jr) - Policial incompetente e chato, detestava Hunter e fazia de tudo para afastá-lo da polícia. Bernie era um grande "puxa-saco" de seus superiores e somente por isso conseguiu chegar a sargento. Era adepto da gravata borboleta. Transferido para Assuntos Internos (departamento da polícia que cuida de crimes envolvendo policiais), desapareceu da série; Whitmore passou então a dirigir episódios de Tiro Certo.

CARLOS (Richard Beauchamp) - Médico legista (temporadas 2 e 3), tocava tuba e tinha uma queda por McCall, a quem chamava de "my little fox". Conseguiu uma vaga para tocar na Filarmônica de Los Angeles.

BARNEY (Perry Cook) - Médico legista que substituiu Carlos. Senhor de idade, tinha o costume de guardar seus lanches nas gavetas do necrotério.

REUBEN GARCIA (Rudy Ramos) - Perito criminal

POCKETS/Ella Mae Bullock (Beau Richards) - Senhora de idade, negra, que vivia nas ruas, apareceu em alguns episódios dando informações para Hunter e McCall. Eles a conheceram quando sua colega de mocó, Wanda, foi assassinada por uma jornalista de TV que queria fazer carreira, criando uma reportagem de repercussão.

MICHAEL SNOW (Martin E. Brooks) - Advogado, amigo de Hunter.

KIRBY (Don "Bubba" Bexley) - Engraxate. Na sua banca funcionava a "empresa" de Sporty (Sporty James Enterprises).

KENNY DUSTIN (Dick Bakalyan) - Conhecido como "A Lenda". Vigarista boa-praça, velho conhecido de Hunter e McCall.

BRADLEY WILKES (Stanley Kamel) - Agente federal de uma agência que ele não dizia qual era, apesar da insistência de Hunter e McCall.
 

Novos episódios de Tiro Certo (2003):
 

CAPTAIN GALLARDO (Mike Gomez) - Chefe de Hunter e Dee Dee na polícia de San Diego.

SID KEYES (Sid Sham) -

MONETTI (Michelle Gold) -

HOME